Psoríase Sintomas, causas e soluções

A psoríase é uma doença de pele  inflamatória crônica comum, que tende a seguir um curso de remissões e exacerbações. O tipo de psoríase que ocorre mais frequentemente apresenta "placas" claramente demarcadas que podem se apresentar com coloração rosada ou acinzentada e escamas prateadas. Estas placas também podem causar hiperpigmentação localizada. Os primeiros sintomas podem aparecer em qualquer idade, no entanto, costumam aparecer nas primeiras etapas da idade adulta ou na maioridade, ao redor dos 50, 60 anos de idade.

Psoríase –Sintomas e sinais

As lesões psoriáticas são biologicamente distintas da clássica pele seca também conhecida como Xerose, e são classificadas como erimato escamosas, o que significa que tanto os vasos sanguíneos quanto as camadas mais profundas da epiderme estão envolvidas. Deficiências na regeneração celular são as causas das chamadas placas. Estas deficiências são causadas por múltiplos fatores:

  • reações inflamatória na camada da derme mais profunda e epiderme superior,
  • um alto índice  de renovação de queratinócitos (o tipo de célula predominante na epiderme),
  • um ciclo reduzido de renovação celular
  • Um processo alterado de descamação (descamação se refere ao processo natural onde a camada externa da pele se desprende).

Close-up de psoríase
A psoríase é uma doença crônica, caracterizada por "placas" de cor cinza ou rosada.

Tipos de Psoríase

A psoríase em placas  (Psoríase vulgaris) é a forma  mais frequente da doença, representando aproximadamente 80% dos casos. Aparece como lesões de cor vermelha que se apresentam elevadas por estarem inflamadas. Também podem estar cobertas por uma camada de pele escamosa, prateada ou branca. Estas lesões são comuns em áreas como os joelhos e cotovelos, couro cabeludo e região lombar.

Psoríase gutata ou eruptiva é caracterizada por lesões eruptivas, pequenas manchas vermelhas que aparecem no corpo ou membros. Habitualmente não se apresentam elevadas em placas como nas lesões da psoríase vulgar. A psoríase gutata pode começar na infância ou no início da idade adulta, e pode surgir de repente.

Psoríase invertida aparece como lesões vermelho claro, não ásperas, mas bastante lisas e brilhantes. Acometem principalmente as dobras de pele e áreas macias como as axilas, virilha ou sob os seios ou nádegas. Estas são também as áreas que podem irritar-se devido a fricção e /ou suor.

Psoríase pustulosa predomina nos adultos e é caracterizada por bolhas brancas de pus, não infecciosas. Estas bolhas podem ter a pele avermelhada ao seu redor e podem ser localizadas ou generalizadas. 

Psoríase eritrodérmica é  inflamatória por natureza e portanto sempre afeta a maior parte da surperfície corporal. Apresenta eritema cutâneo extenso, com a formação de escamas que se desprendem em grandes lâminas, o que causa muita dor e desconforto.

Mãos idosas com sintomas de psoríase.
Lesões avermelhadas, elevadas e inflamadas são típicas da psoríase em placas.
Cotovelo com sintomas de psoríase.
A psoríase aparece em formas diferentes com características diferentes.

O que causa a psoríase?

Genética
Estudos indicam que a maioria dos casos de psoríase podem ser genéticos, devido à incidência de psoríase nas famílias dos afetados pela doença. Acredita-se que certos genes herdados podem estar ligados à psoríase, mas ainda não se conhece a maneira exata como isto acontece.

Infecções

As infecções estão sempre envolvidas no desenvolvimento de sintomas da psoríase. As bactérias, particularmente do tipo estreptococos, são os patógenos mais co-relacionados e estão ligados à psoríase gutata. Embora não seja uma causa direta de psoríase, a infecção por HIV (AIDS), costuma aumentar a probabilidade no desenvolvimento de uma psoríase mais grave, caso a a pessoa já sofra dela. 


Estresse
Um estado de stress psicológico pode agravar o problema, e em alguns casos, pode ser o suficiente para desencadeá-la. 

Medicamentos
Alguns medicamentos, particularmente o lítio, antimaláricos e beta-bloqueadores, têm um efeito negativo na psoríase. A interrupção brusca da terapia com corticosteróides orais ou tópicos pode causar sintomas de "rebote", que podem ser graves e mesmo resultar em eritroderma ou psoríase pustulenta generalizada.
Mãe segurando bebê nos braços
A psoríase pode ser transmitida de pais para filhos.
Mulher  pensando, as mãos em frente ao rosto.
Evite o estresse, ele pode desencadear os sintomas.

Opções de terapia tópica

Terapias tópicas para psoríase consistem principalmente de emolientes, hidratantes e agentes queratolíticos e corticosteróides. Produtos hidratantes e emolientes são principalmente benéficos nas fases intermediárias e de remissão da psoríase. Durante a fase queratósica inicial a maioria dos agentes queratolíticos são benéficos, e podem ser usados em conjunto com hidratantes e emolientes. Corticosteróides tópicos apesar de serem sempre eficazes, não devem ser usados continuamente ou por longos períodos, sendo recomendado reservá-los para os períodos de piora das erupções.

Os emolientes são usados para tornar a camada córnea mais flexível e reduzir as escamas superficiais. São os produtos mais comumente usados em dermatologia. Eles funcionam gerando uma película oclusiva que reduz a perda de água por evaporação na pele, o que contribui para que a camada superficial da pele ou camada córnea, apresente-se suficientemente hidratada
Hidratantes são emolientes muitas vezes enriquecidos com substâncias do fator de hidratação da pele, FHNs. Os FHNs também aumentam a hidratação do estrato córneo, pois eles atraem e fixam a água na pele. Os hidratantes mais avançados também contém ativos como Glucoglicerol, que age aumentando a hidratação nas camadas mais profundas da epiderme, ativando a rede de umidade natural da pele e melhorando o fornecimento de água para as camadas superiores da pele.

O uso regular de hidratantes e emolientes é importante e deve manter-se tanto na fase de crise quanto na remissão do quadro clínico.

Cremes mais pesados, mais oclusivos e pomadas são preferíveis às loções mais leves, pois eles são mais eficazes.

Ilustração gráfica da estrutura da pele.
A pele deve ser mantida hidratada. É recomendado o uso adicional de hidratantes.
Ilustração gráfica da estrutura da pele.
Hidratantes mais avançados contém ativos que aumentam a hidratação.

Os agentes queratolíticos

 são eficazes na redução das escamas e placas psoriáticas, pois eles “diluem” o material queratósico. O ácido salicílico é o mais eficaz dos compostos queratolíticos que se conhece, sendo mais benéfico para placas psoriásicas extremadamente grossas ou escamosas.


A ureia é outro agente queratolítico geralmente usado, e também está presente em  vários hidratantes tais como os produtos da linha Eucerin Ureia

. Além de ser uma substância do FHN a ureia ajuda a fixar a água na pele.


Tratamentos tópicos como emolientes, hidratantes e agentes queratolíticos são essenciais para o tratamento da psoríase. Eles dão suporte à eficácia de qualquer terapia sistêmica. 

Corticosteróides de uso tópico

têm propriedades anti-inflamatórias, reduzindo a formação de placas e a irritação que as acompanha. Os corticosteróides tópicos moderados podem ser usados para a psoríase no rosto, genitais, ou áreas de fricção ou flexão, em combinação com outros agentes, especialmente emolientes e hidratantes.


Análogos da vitamina D são frequentemente um dos primeiros tratamentos tópicos usados para psoríase crônica típica.
Mulher aplicando creme na perna.
Use produtos de cuidado da pele que sejam adequados para pele seca, preferivelmente sem perfume para evitar a irritação.
Mulher aplicando creme no cotovelo
Corticosteróides tópicos têm propriedades anti-inflamatórias.