Imprimir
Mulher com cabelo escuro numa pose relaxada

    Entendendo a pele Como a pele difere de acordo com o grupo étnico?

    Nossas origens étnicas influenciam a estrutura e aparência da nossa pele. Quando usado no contexto de pele, o termo etnia também se refere aos  diferentes fatores ambientais e culturais que influem na saúde e aparência da pele .

    As pesquisas nesta área têm como foco a pigmentação. Ainda que com o desafio das limitações quanto à classificação e dados contraditórios, foi demonstrado que a estrutura e os problemas cutâneos variam de acordo com o grupo étnico. O modo de tratar e cuidar da pele e os produtos que utilizamos devem refletir estas diferenças. 

    COMO A COR DA PELE E A PIGMENTAÇÃO DIFEREM POR GRUPO ÉTNICO

    A cor da nossa de pele é determinada pela densidade e a distribuição de melanina. Melanina é um pigmento produzido por células especializadas na camada basal da epiderme conhecidas como melanócitos. Esta melanina atravessa outras células na camada basal, dando origem à pigmentação cutânea.

    Ilustração da aparência da pigmentação da pele

    Todos os grupos étnicos têm um número similar de melanócitos em sua pele.  O que difere entre as etnias é o nível de atividade dos melanócitos em combinação com o modo em que as células se integram e se agrupam.  Destas diferenças resultam as distintas tonalidades cutâneas.

    Tentar alterar a tonalidade da sua pele pode influir em sua saúde:

    • O desejo de bronzear-se entre as pessoas de pele branca aumenta a vulnerabilidade ao câncer de pele.
    • A busca por parte de algumas mulheres com pele escura por clareamento cutâneo, culturalmente apreciado, pode levar ao uso de produtos impróprios, danificando a pele.

    O IMPACTO DA ETNIA NO ESTADO DA PELE

    Enquanto muitas condições de pele são compartilhadas por todos grupos étnicos, a etnia pode ter um impacto numa escala de ordem (quer dizer, certo grupo étnico está mais inclinado a sofrer daquilo) e o seu aspecto.

    Há diferenças notáveis entre peles mais escuras e mais claras em termos de como elas reagem ao sol, distúrbios de pigmentação, irritação e inflamação.

    Exposição aos raios UV

    Exposição aos raios UV é um dos fatores mais significativos que afetam a saúde da pele de toda uma população, com estimativas que sugerem que aproximadamente 10% de nós terá um câncer da pele durante a vida.

    Mulher asiática olhando para o sol
    Embora a pele mais escura tenha mais proteção que a pele branca contra os raios U.V., recomenda-se o uso do filtro solar.
    Rosto de mulher asiática
    As manchas de idade são mais visíveis nas pessoas de raça branca e asiática do que nas de pele mais escura.

    O grupo étnico de uma pessoa afeta como a sua pele reage ao sol:

    • A pele branca é mais afetada pela exposição U.V., correspondendo o maior risco de câncer àqueles cuja pele se queima com facilidade sem entretanto adquirir um bronzeado.
    • A pele escura tem maior proteção natural contra os raios U.V., com um fator médio protetor contra os UVB de aproximadamente 13, em comparação com 3 na pele branca.
    • O câncer de pele é menos predominante em peles mais escuras. No entanto, múltiplos estudos americanos sugerem que quando é descoberto, já pode ser tarde, e estar num estágio bem avançado.
    • Manchas de Idade são mais visíveis em pessoas de pele branca e asiática  do que nas peles mais escuras.

    Toda a pele necessita de cuidado especial ao sol. Leia mais em como sol afeta a pele e sobre como proteger a pele dos raios UV do sol.

    Distúrbios de pigmentação

    Os distúrbios de pigmentação, podem ocorrer em todos os tipos de pele, porém são mais comuns, mais notáveis e causam maior preocupação em indivíduos de origem asiática, hispânica ou africana. Doenças inflamatórias comuns como a Dermatite atópica ou acne, que se manifestam em forma de eritema (vermelhidão da pele causada pela dilatação dos capilares) na pele branca, podem causar mudanças na pigmentação em peles mais escuras.

    Rosto de mulher com distúrbio da pigmentação
    Em geral, distúrbios de pigmentação podem aparecer em todos os tipos de peles.

    Hiperpigmentação pós-inflamatória

    As peles mais escuras são propensas à hiperpigmentação pós-inflamatória causada por uma super produção de melanina e aparece em forma de manchas de cor mais escura do que a pele. Estas manchas aparecem na pele que teve acne e/ou dermatite atópica. Leia mais sobre as causas e tratamento em hiperpigmentação e hiperpigmentação pós-inflamatória.

    Manchas de idade

    As manchas de idade causadas pelo sol (lentigos) são mais visíveis nas peles das pessoas de raça branca e asiática do que nas de pele mais escura. Leia mais sobre suas causas e como preveni-las em manchas de idade.


    Mulher idosa com pele branca e manchas de idade
    As manchas de idade são mais visíveis em pele branca e comum nas pessoas com mais de 40 anos.

    Melasma

    Melasma é uma forma de hiperpigmentação que aparece no rosto, geralmente nas bochechas, nariz, testa e lábio superior e, às vezes em outras partes do corpo que são expostas ao sol, como os antebraços. É semelhante em aparência às manchas de idade, mas as áreas afetadas são maiores. É mais comum entre pessoas com pele escura, latinas, e asiáticas: a incidência de melasma em mulheres mexicanas grávidas é nada menos que 80%. Leia mais sobre causas e tratamento em Melasma.

    Close-up de bochechas femininas com melasma
    Melasma, um tipo de hiperpigmentação, é mais comum em mulheres – só 10% de casos reportados são masculinos.

    Irritação e inflamação

    Homem barbeando-se
    O nível de irritação é influenciado pela origem étnica, assim como a pele asiática é comprovadamente sujeita a irritações e a pele escura apresenta menos reações.

    Quando a barreira natural da pele é alterada, sua função protetora fica comprometida e particularmente propensa a irritação e infecção. A pele infeccionada pode se inflamar quando as células imunes se movem tentando reparar a barreira danificada e curar a infecção. Apesar deste processo ser o mesmo para todos os tipos de pele, algumas pesquisas indicam que:

    • A pele escura é a menos reativa a irritação.
    • A pele hispânica  é mais resistente que pele branca.
    • A pele asiática é mais sensível a irritações.

    Dermatite atópica (eczema)

    A dermatite atópica é um das doenças mais comuns na infância. Um problema crescente nas nações ocidentais, afeta quase uma em cinco crianças. Algumas pesquisas realizadas sugerem que as crianças de pele escura e asiáticas são mais propensas a desenvolver a doença durante os seis primeiros meses de vida, do que as crianças brancas e hispânicas. Um terço dos casos da doença desaparece durante a infância mas, para alguns, ela pode continuar durante a idade adulta.

    A dermatite atópica pode ser genética. As pesquisas também demonstraram que as crianças de países desenvolvidos, que vivem em áreas urbanas, onde há alta intensidade de poluentes, assim como as que vivem em climas frios, são as mais inclinadas a desenvolver a doença.

    Uma vez afetadas, há um número de razões que pioram os sintomas. Sabe-se que os pacientes têm uma deficiência de lipídios importantes e fatores hidratantes naturais. Por causa disso, a função da barreira cutânea fica debilitada, aumenta a perda de umidade e há propensão ao ressecamento da pele e à coceira. Também se sabe que estes pacientes têm imunidade irregular , que faz com que sua pele reaja mais ao meio ambiente e seja vulnerável a inflamações.

    Quanto mais a pele é coçada, mais as bactérias se multiplicam causando inflamação e mais  coceira, piorando a condição.

    As crianças de pele branca tendem a ter mais problemas nas dobras da pele, nas junções das articulações tais como cotovelos, pulsos, atrás dos joelhos e frente dos tornozelos.

    Leia mais sobre como tratar e cuidar da Dermatite atópica.

    Bebê de pele branca com dermatite atópica
    Entre 10 a 20% de crianças no mundo todo apresentam dermatite atópica. Os bebês podem desenvolver sintomas entre dois a três meses de idade.
    Rosto e colo de mulher com dermatite atópica
    A dermatite atópica é uma doença inflamatória que torna-se cada vez mais predominante, particularmente no ocidente.

    Rosácea

    Rosto feminino com pele branca e rosácea
    A rosácea é uma inflamação cronica que geralmente aparece no rosto.

    A vermelhidão crônica de pele, conhecida como Rosácea, é mais comum entre as mulheres de pele branca do norte europeu e as descendentes dos celtas.

    Acne

    Em países desenvolvidos, a acne afeta aproximadamente 85% da população em algum momento da vida. Embora a gravidade da doença varie através de grupos étnicos, as diferenças são pequenas:

    • Embora a acne deixe manchas na pele como sequela, alguns estudos mostram que pessoas com pele escura têm mais inflamações e hiperpigmentação pós-inflamatória do que pessoas com pele branca.
    • Outros estudos mostraram que a pele asiática é mais propensa a inflamação e cicatrizes.

    Leia mais em as causas da acne e como tratar e cuidar da pele propensa a acne.

    Close-up de rosto com acne
    A acne é a doença mais comum de pele em nações industriais. Ela geralmente começa durante a puberdade e pode persistir até a maioridade.

    O IMPACTO DA ETNIA NO ENVELHECIMENTO DA PELE

    Face de mulher com pele escura.
    À medida que envelhecem, todas as peles no mundo passam por mudanças, sendo a maior delas a perda de volume.
    Homem idoso com pele escura sulco nasolabial visível.
    Sulcos nasolabiais profundos e visíveis são comuns em peles.

    Enquanto o envelhecimento ocorre naturalmente em todos os tipos de pele, seus sinais podem variar de acordo com a etnia da pele:

    • Sinais de envelhecimento aparecem com menor gravidade e começam num estágio posterior em peles mais escuras. Isto é porque as peles mais escuras contêm mais melanina e são mais protegidas de raios U.V. As manchas senis estão entre os primeiros sinais de fotoenvelhecimento da pele.
    • Nas peles mais pálidas, o envelhecimento aparece na forma de linhas finas e rugas. Nas peles escuras, o envelhecimento se manifesta como sulcos profundos, principalmente nas dobras da região nasal e labial.
    • À medida que envelhece, a pele pode apresentar um aumento de hiperqueratose, especialmente comum nem peles do leste asiático.
    • Casos de Dermatose Pupulosa Nigra (DPN) aumentam com a idade. DPN são pequenas lesões benignas que aparecem em todo o rosto. Elas são exclusivas da pele escura e muito comuns afetando até 30% da população afro-americana nos EUA.

    Todas as peles passam por mudanças semelhantes à medida que envelhecem, sendo a perda de volume um dos maiores sinais globais de envelhecimento. Entretanto,  o modo como percebemos o envelhecimento e como expressamos nossos sentimentos diferem de acordo com a nossa cultura:

    • Mulheres do norte europeu associam as rugas ao envelhecimento.
    • As mulheres asiáticas estão mais preocupadas com problemas de pigmentação.

    Leia mais sobre os sinais de envelhecimentocomo prevenir o envelhecimento precoce e como cuidar da pele a medida que envelhecemos. As peles do homem e da mulher envelhecem de formas diferentes. Leia mais em quais as diferenças ente a pele masculina e a pele feminina?.

    CUIDADO PARA PELES DE DIFERENTES GRUPOS ÉTNICOS

    A pele é vital à nossa saúde e bem-estar. Além da atividade como nossa primeira linha de defesa contra influências externas como irritantes, bactérias e vírus, a pele saudável mantem o equilíbrio de fluidos no nosso corpo e ajuda a regular a temperatura corporal. A pele também desempenha um importante papel psicológico. Como o indicador mais visível de nossa saúde, a condição da nossa pele afeta nossa autoconfiança.

    Mulher asiática aplicando creme sob os seus olhos
    Rotina diária de cuidado é vital para todos os tipos de pele e origens étnicas.
    Mulher com pele escura aplica filtro solar no seu ombro direito
    Embora o câncer de pele seja menos predominante em peles mais escuras, a proteção U.V. é necessária e recomendada.

    O cuidado de pele deve refletir o tipo de pele de cada um e seu estado. Para obter mais informações para identificar seu tipo de pele qual tratamento seguir, um teste de pele pode ser uma ferramenta diagnóstica útil.

    As orientações básicas para manter uma pele saudável se aplicam para todos os tipos e cores de pele. Leia mais em cuidado da pele corporal e rotina diária de cuidado de pele facial.

    Todos os tipos de pele precisam de proteção contra os raios UV, mas o nível de proteção necessário varia de acordo com a cor da pele. Leia mais em a pele e o  sol.

    Distúrbios comuns de pele podem levar a uma pigmentação pós-inflamatória nas peles escuras. É importante consultar um médico ou dermatologista em todas as questões de pele. Leia mais sobre tratamento e cuidados com questões de pigmentação.

    Pessoas com a pele escura também devem procurar conselho dermatológico antes de se submeter a tratamentos de pele com  laser ou peeling com substâncias químicas, pois eles têm maior risco de sofrerem hiperpigmentação pós-inflamatória.