Os efeitos do sol na pele do corpo – Prevenção e proteção contra os raios UV

Mostrar mais

No nosso dia a dia, protegemos o nosso corpo contra o sol cobrindo-nos com roupas.  Pensamos apenas na proteção solar quando o corpo fica totalmente exposto por longos períodos de tempo, como nas férias.  Mas é importante proteger a pele corporal sempre que ela for exposta aos raios UV, esteja ou não um dia ensolarado, por exemplo, usando-se camisetas de manga curta, shorts ou saias.

Sinais & Sintomas

Como identificar os danos do sol na pele do corpo

A pele do corpo difere da pele do rosto de várias maneiras:

A pele do corpo é mais espessa do que a do rosto - ela possui células maiores e não perde água tão rapidamente.
A pele do corpo requer um tipo diferente de proteção solar do que a pele facial.

  • A falta de exposição direta ao meio ambiente significa que a pele do corpo tem uma menor taxa de renovação celular do que a pele facial. Existe menos esfoliação natural, portanto, a pele do corpo tende a ser mais espessa e escamosa.
  • A camada superior da pele facial tem células menores do que em outras partes do corpo. Células menores significa menor barreira, assim o rosto perde água mais rapidamente do que o corpo.
  • A epiderme facial tem espessura aproximada de 0,12 mm enquanto que a média para o corpo é de cerca de 0,60 mm. Esta espessura pode levar a um acúmulo de células mortas e crescimento bacteriano.

A pele do rosto e do corpo têm necessidades diferentes quanto à proteção solar. A proteção para o rosto é concebida para atender às necessidades específicas de uma pele mais fina e mais exposta. Ela também pode ter cor para proporcionar uma tez mais uniforme.

Leia mais sobre o efeito do sol no rosto.
Leia mais sobre a estrutura da pele.

Quando se trata de proteção solar, o corpo tem necessidades ligeiramente diferentes, apesar de que peles sensíveis, como a pele facial, necessitarem de proteção solar adaptada, especial. Sua natureza reativa torna-a vulnerável aos fatores irritantes externos. Devido à sua intolerabilidade, é importante que o protetor solar seja especificamente formulado para, e testado em, pele sensível e que suas propriedades respondam às necessidades particulares da condição.

Uma proteção solar correta para o corpo poderá ajudar a prevenir uma série de problemas de pele:

A região do pescoço e o peito recebem exposição solar de forma semelhante ao rosto.
Os ombros geralmente recebem bastante exposição no verão.

Queimaduras do sol
Os raios UVB são responsáveis ​​por causar danos agudos: queimaduras solares. Eles penetram de forma menos profunda na pele, mas são a principal causa do danos diretos ao DNA.  Uma pele desprotegida poderá ficar vermelha, com bolhas e extremamente dolorosa.  Isso é ainda mais perigoso para crianças e adolescentes, pois aumenta o risco de, mais tarde na vida, desenvolver câncer de pele epitelial e melanomas malignos.  Leia mais sobre protegendo as crianças contra queimaduras do sol.

Envelhecimento precoce da pele
Rugas profundas e tecido da pele flácidos são alguns dos efeitos negativos da luz do sol. Leia mais sobre o envelhecimento precoce da pele.

Hiperpigmentação / Manchas escuras
A exposição solar excessiva é a causa número um da hiperpigmentação  - uma condição de pele inofensiva, mas desagradável que faz com que apareçam manchas escuras. Leia mais sobre hiperpigmentação.

Erupção Polimorfa Solar (EPS)
A pele do corpo, que fica normalmente encoberta, pode ter uma reação quando é exposta ao sol - por exemplo, no verão ou em um feriado. Esse problema, caracterizado por uma erupção cutânea com coceira e ardencia, é conhecido como EPS.

Acne estival (também conhecida como acne solar)
Ao contrário da Acne vulgar, essa erupção de lesões inflamadas e vermelhas não é causada por alterações hormonais ou bactérias, mas pela reação da pele à luz do sol e a certos ingredientes  alérgenos encontrados em produtos de cuidados com a pele e protetores solares. A acne estival é muito semelhante à EPS e pode ser difícil diferenciar as duas.

Dermatite Atópica / Psoríase
A proteção solar também é importante para pessoas que sofrem de dermatite atópica e psoríase, pois a pele já está seca. Os medicamentos tópicos podem deixar a pele afetada ainda mais suscetível a queimaduras solares. 

Os raios UVB podem causar danos ao DNA, o que é perigoso especialmente para as crianças e adolescentes.

Pele diabética
A pele de uma pessoa com diabetes liga a água de forma menos eficiente do que a pele de uma pessoa saudável. A deficiência de umidade normalmente provoca imensa coceira, que pode afetar todo o corpo. A luz solar resseca ainda mais a pele e torna-a suscetível às infecções. A menor percepção de dor experimentada pelos diabéticos também aumenta o risco de queimadura solar.

Câncer de pele
Existem quatro tipos de câncer ou de pré-câncer associados aos raios UV. A ceratose actínica aparece como uma área pequena, áspera e elevada sobre a pele que esteve exposta ao sol por um longo período de tempo. Alguns tipos de ceratose actínica podem evoluir para um tipo de câncer de pele. O carcinoma basocelular é a forma mais comum de câncer de pele. Ele se apresenta como uma ferida aberta, manchas vermelhas, pintas rosadas, inchaços ou cicatrizes brilhantes. O carcinoma espinocelular apresenta uma mancha escamosa e vermelha persistente que pode sangrar se tornar-se grave. É o segundo tipo de câncer de pele mais comum em pessoas de origem branca. Finalmente, a forma mais grave de câncer de pele é o melanoma. A maioria dos melanomas é preto ou marrom, mas eles também podem se apresentar como rosa, vermelho, roxo, azul ou branco.

Se você está preocupado com a sua pele, é importante procurar ajuda profissional de um dermatologista.

Causas & Fatores Desencadeadores

O que fazer para minimizar o risco dos danos causados ​​pelo sol

A melhor maneira de evitar problemas de pele relacionados ao sol é evitando-o sempre que puder. Como isso nem sempre é possível, ou desejável, a próxima coisa mais importante a se fazer é usar proteção solar.  É importante entender que os raios nocivos ainda podem chegar à pele durante os dias nublados, quando se está à sombra e dentro d'água, por isso é preciso ter cuidado não só nas horas em que se for tomar sol.

Apesar da luz solar possuir muitos pontos positivos - melhora o humor, produz vitamina D, torna a circulação melhor e aumenta a produção de melanina - os efeitos nocivos dos raios UVA (lesões oculares, imunossupressão, envelhecimento precoce da pele, mutações genéticas (melanoma), alergias e intolerância ao sol) e UVB (lesões oculares, bronzeamento (pele asiática), queimaduras solares e mutações genéticas/cânceres de pele não melanoma) devem ser evitados para evitar danos à pele.

Os efeitos negativos dos raios UVA e UVB podem ser minimizados ao:

Cobrir-se de forma adequada quando se está no sol reduz o risco de sofrer com so seus danos.

  • Evitar sol direto, especialmente uma exposição intensa entre 10:00 e 16:00.
  • Usar produtos de proteção solar generosamente e repetidamente.
  • Manter as crianças longe da exposição direta do sol.
  • Considerar os tipos de pele individuais e as implicações deles
  • Cobrir-se com roupas ou chapéus de forma adequada.
  • Estar ciente do impacto de qualquer medicação quanto à sua tolerabilidade ao sol.

Fatores Contribuintes

Quais fatores aumentam o risco dos danos causados ​​pelo sol

Algumas pessoas são mais propensas do que outras a apresentar danos e problemas de pele relacionados ao sol. Isso ocorre devedio a alguns fatores, incluindo:

Alguns medicamentos, incluindo os controle de natalidade, podem aumentar a sensibilidade aos raios do sol.
Os hormônios, a genética e a idade também afetam a sensibilidade à luz.

  • Influências hormonais
    Um tipo especial de hiperpigmentação, conhecida como melasma ou cloasma, é mais comum em mulheres, pois acredita-se que isso ocorre quando os hormônios sexuais femininos estimulam uma produção excessiva de melanina sob a exposição solar.
  • Genética
    Se um ou ambos os pais tiveram câncer de pele, há uma chance maior de que seus filhos corram esse risco.
  • Idade
    O risco de ter câncer aumenta com a idade. O melanoma - que pode aparecer em qualquer parte do corpo - é mais dominante na faixa etária dos 55 aos 64 anos de idade do que em pessoas mais jovens.
  • Medicação
    Alguns medicamentos, incluindo certas pílulas anticoncepcionais e antibióticos, podem aumentar a taxa de sensibilidade da pele e a susceptibilidade a distúrbios de pigmentação.
  • Tratamentos pós-dermatológicos
    Os peelings químicos e tratamentos a laser podem deixar a pele vermelha e muito sensível ao sol.

A pele naturalmente pálida é geralmente mais sensível ao sol do que os outros tipos de pele.

  • Cor da pele
    As pessoas com cabelo ruivo ou loiro claro, tons de pele muito pálidos e com muitas sardas são mais propensas a sofrer de queimaduras solares e têm menos tendência a ficarem bronzeadas.
  • Problemas existentes
    Pessoas que sofrem de psoríase ou dermatite atópica tendem a ter a pele seca, sensível e, portanto, precisam de proteção solar especial.
  • Acne estival
    Essa reação da pele afeta principalmente mulheres jovens até a meia-idade (entre 25 e 40 anos).

Para saber se você tem tendência a desenvolver determinados problemas de pele, fale com um dermatologista.

Soluções

É extremamente importante prevenir e proteger a pele dos danos do sol, pois se eles forem muito severos, a pele pode não conseguir reparar a si mesma e a lesão será irreversível.

A proteção solar foi projetada para atender às necessidades dos diferentes tipos de pele do corpo:

O segredo é escolher o protetor solar correto para o seu tipo de pele.
Alguns tipos de pele, como as das crianças e as propensas à alergia, requerem atenção especial.

Para a pele normal, o Eucerin Sun Lotion Extra Light  está disponível como FPS 30 e FPS 60 e é facilmente absorvido.

Assim como é importante usar protetor solar, também é importante refrescar, acalmar e hidratar a pele após a exposição aos raios UV. Todos os produtos corporais da Eucerin devem ser utilizados em combinação com o produto Pós Sol.

Outras opções

Cobrir a pele com a roupa adequada também ajuda a prevenir os danos causados ​​pelo sol.
Uma dieta rica em carotenóides e gorduras omega fortalecem as defesas naturais da pele.

Além de cremes dermatológicos e loções, existem outras maneiras de prevenir a pele contra os efeitos nocivos da radiação UV:

  • Use roupas para cobrir a pele vulnerável, incluindo camisetas de mangas compridas e calças compridas.
  • Use um chapéu de abas largas.
  • Leve um guarda-sol ou uma barraca para se proteger do sol quando passar o dia exposto.  Eles possuem filtros UV e usam materiais refletores para minimizar os efeitos dos raios UVA e UVB.
  • Adote uma dieta rica em carotenóides (frutas e legumes vermelhos, amarelos e laranjas).  Foi comprovado que eles podem fortalecer as defesas naturais da pele se consumidos durante um longo período de tempo.  Há também evidências de que dietas ricas em gorduras omega (azeite, peixes oleosos, etc.), com pouca carne vermelha e laticínios, mas rica em vitaminas C e E e flavonóides, pode ter um efeito semelhante.

Se você está preocupado com relação aos danos que o sol pode causar na pele, por favor consulte um dermatologista.

Cremes e loções para prevenção e proteção

Para proteger a pele do corpo contra os efeitos da radiação UV:

  • Use o fator correto de proteção solar.
  • Use a quantidade certa de protetor solar.
  • Aplique e reaplique o protetor solar a cada 1 ou 2 horas para manter a proteção da pele, especialmente após nadar, transpirar e se secar.

A linha Eucerin de proteção solar utiliza uma combinação única de filtros UV com a proteção biológica da Licochalcona A. O sistema do filtro é altamente eficaz e fotoestável, com Tinosorb S, protegendo de forma confiável contra queimaduras solares, enquanto a Licochalcona A proporciona um efeito antioxidante, para proteger as células da pele contra os danos causados pelo sol, provocados pelos radicais livres.

Complete a rotina