Mulher tocando o rosto com a mão esquerda.

Sinais de envelhecimento Envelhecimento geral da pele

Por volta dos 25 anos de idade, os primeiros sinais de envelhecimento começam a ficar aparentes na superfície da pele. Primeiro surgem as linhas finas e, com o tempo, as rugas, a perda de volume e de densidade começam a ficar visíveis.

A nossa pele envelhece graças a diversas razões. Nem todas elas são inevitáveis ​​e não podem ser alteradas. Mas há outras que podem ser controladas até certo ponto, com uma abordagem abrangente que funciona como uma prevenção.
Compreender como fatores internos e externos podem afetar a estrutura e função da pele ajuda a esclarecer as escolhas sobre tratamento e prevenção.

SINAIS & SINTOMAS

Os sinais visíveis do envelhecimento da pele

Existem três principais manifestações do envelhecimento geral da pele. Cada um afeta a aparência do rosto de uma maneira diferente.

Rugas
O primeiro sinal visível de envelhecimento a partir dos 25 em diante são as linhas finas e as rugas. Essas linhas aparecem em diferentes áreas do rosto e são os sinais de envelhecimento mais fáceis de detectar. As primeiras a aparecer são as linhas finas. Essas pequenas e rasas rugas tendem a ficar visíveis nos cantos externos dos olhos. Elas são também conhecidas como marcas de sorriso ou pés de galinha e também podem ser encontradas nas bochechas. Na testa, as rugas ficam visíveis formando linhas horizontais, que são provocadas pela expressão facial e tendem a ficar mais profundas com o passar do tempo. Linhas menores e verticais entre as sobrancelhas são causadas pelo franzir da testa.

Rugas mais profundas são formadas entre o nariz e a boca, chamadas de sulcos nasolabiais, ligados à flacidez da pele e frequentemente associados à perda de volume.

Perda de volume
Às vezes difícil de ser identificada, a perda de volume também é conhecida como pele flácida. Ao contrário da perda de densidade ou das rugas, ela muda a aparência geral da face de um jeito transformador, mas difícil de se identificar. Mais fáceis de notar, a diminuição de volume e a flacidez dos contornos faciais, associadas a uma perda de volume, podem dar ao rosto uma aparência negativa, triste ou estressada. Consequentemente, isso pode levar a impressões erradas quanto ao humor de uma pessoa ou a sua aparência.

Perda de densidade
Mais comum em mulheres em idade pós-menopausa, a perda de densidade se manifesta na superfície, resultando em uma pele mais fina, mais fraca. "Ao contrário das rugas ou da perda de volume, a perda de densidade afeta a pele por todo o rosto, ao invés de ser um problema de áreas específicas". Ela é frequentemente associada a rugas mais profundas e ocorre simultaneamente com a diminuição da luminosidade e com a tendência a uma pele sem brilho.

Mulher mais velha com rugas ao redor da boca e olhos.
A estrutura da pele muda com o tempo. As rugas são geralmente o primeiro sinal visível dessas mudanças.
Mulher puxando a pele do queixo com a mão.
Um dos sinais da perda de volume é a flacidez na face, gerando áreas com pele solta.
Mulher tocando a sua bochecha esquerda com a mão
Quando a estrutura da pele está comprometida, a perda de densidade fica aparente. Isso muitas vezes aparece juntamente com uma pele aparentemente menos brilhante, com um toque mais fino.
CAUSAS & FATORES DESENCADEADORES

Ao invés de uma única causa, a pele envelhece devido a uma combinação de fatores, tanto internos como externos. A compreensão dessas causas ajudará a criar uma abordagem abrangente para prevenir o envelhecimento da pele.

O envelhecimento acontece em todas as camadas da pele

Mudanças dentro das camadas da pele aparecem na superfície como sinais de envelhecimento.

Epiderme
Uma renovação celular mais lenta e a redução na produção de lipídios na superfície da pele torna mais provável que ela fique áspera e ressecada. Conforme essa camada da pele envelhece, torna-se mais sensível à luz UV.  A pele fica menos eficiente em renovar-se, uma redução na função da imunidade pode levar a um aumento de infecções na pele, além retardar o processo de cicatrização.

Derme
A partir dos 25 anos de idade, há uma diminuição anual de 1% no colágeno, um dos "blocos de construção" da pele. Em conjunto com um declínio na elastina, isso acaba levando à desorganização do tecido dérmico. A estrutura da pele fica comprometida e as rugas tornam-se mais aparentes. A elasticidade é reduzida, tornando a pele mais propensa a danos. Uma redução no fluxo sanguíneo leva a uma entrega menos eficiente de nutrientes e oxigênio para a superfície, isso acarreta na redução do brilho rosado característico da pele jovem.

Hipoderme
Nas camadas mais profundas, as mudanças mais notáveis ​​são ligadas ao tamanho e número de células de armazenamento de lípido na camada adiposa. Essa redução causa um efeito dominó na perda de volume e pode levar a rugas profundas, bochechas flácidas e prejudicar a cicatrização de feridas.

Representação gráfica da pele e suas camadas.
O envelhecimento provoca mudanças em todas as camadas da pele, afetando tanto a sua forma como as substâncias que a compõem.

Causas internas do envelhecimento

Algumas das causas do envelhecimento da pele facial são inevitáveis ​​e não podem ser alteradas. A nossa idade biológica determina as mudanças estruturais na pele e a eficiência das funções celulares, as quais ficam mais lentas a cada ano que passa.

Uma oferta de sangue mais pobre para a pele faz com que a entrega de nutrientes e oxigênio para a superfície seja bloqueada. Um tom de pele mais opaco torna-se predominante e o brilho rosado, característico de uma pele jovem, desaparece.

A Genética tem um papel fundamental na forma como a pele envelhece. A etnia e o tipo de pele, com as quais nascemos, afetam a rapidez com que os sinais de envelhecimento aparecem na superfície da pele. Por exemplo uma pele clara e sensível tende a ter rugas em uma idade mais precoce, já a pele asiática pode ser propensa a tons irregulares e as rugas aparecem em idades mais avançadas. O ressecamento causado pela idade  também pode ser uma consequência da composição genética específica de uma pessoa.

Leia mais sobre como a etnia afeta a sua pele

Representação gráfica da pele jovem e suas conexões entre as camadas.
Na pele jovem, as ligações fortes entre as camadas levam a uma entrega eficiente de hidratação e nutrientes às camadas visíveis.
Representação gráfica da pele envelhecida com conexões mais lentas entre as camadas.
Com o tempo, essas conexões e sistemas ficam mais lentos, tornando-se menos eficientes. O resultado é visivelmente uma pele envelhecida.

Causas externas do envelhecimento

Os fatores externos que afetam a velocidade com que a pele envelhece são todos consequência de um processo, o estresse oxidativo. Esse conceito refere-se à liberação de moléculas, chamadas radicais livres, ou espécies reativas de oxigênio, dentro do corpo.  A Teoria dos Radicais Livres como causa do envelhecimento afirma que nós envelhecemos devido à acumulação de danos causados pelos radicais livres com o passar do tempo.  Um radical livre é um átomo ou molécula altamente volátil, que consiste em um único elétron desemparelhado em uma camada externa.  A maioria deles possui uma grande capacidade de danificar todas as estruturas celulares, incluindo lipídeos e proteínas.

Sob circunstâncias normais, os radicais livres são capturados e neutralizados pelos antioxidantes na pele: moléculas com a capacidade de absorvê-los e neutraliza-los.  No entanto, confome o tempo passa, a capacidade da pele em desativar radicais livres enfraquece. O resultado é a deterioração de todos os componentes da célula da pele. O estresse oxidativo é acelerado e desencadeado por uma série de fatores do estilo de vida.

Sol
A exposição aos raios solares é o fator externo principal responsável pelo envelhecimento  da pele, via estresse oxidativo. O dano na pele provocado tanto pela exposição prolongada, como diária aos raios UV, é chamado de fotoenvelhecimento, também responsável pela pigmentação irregular.

Poluição
Deixar que a pele seja exposta à poluição, com mais frequência nas cidades, pode desencadear a liberação de radicais livres prejudiciais à pele. Além disso, a poluição agrava os efeitos da exposição solar, acelerando o estresse oxidativo.

Fumar
Os produtos químicos e a nicotina que existem dentro do cigarro são responsáveis por um aumento na quantidade de radicais livres na pele.  Como a poluição, eles intensificam os efeitos da exposição solar, levando a um estresse oxidativo.

Zona inferior da face de uma mulher com sardas.
As sardas e a hiperpigmentação são o resultado da pele tentando se proteger dos efeitos nocivos do sol.
Mulher em uma cidade com o trânsito atrás dela
A poluição existente nas cidades pode acelerar os efeitos dos danos causados pelos radicais livres, especialmente quando combinada com exposição solar.

Nutrição
Os antioxidantes são moléculas com a capacidade de neutralizar os radicais livres que degeneram e aceleram o envelhecimento da pele.  Uma dieta deficiente em antioxidantes não ajuda a retardar o envelhecimento geral da pele. No entanto, comer muitas frutas e vegetais ricos em antioxidantes pode ser uma ferramenta fundamental em uma abordagem abrangente de prevenção  do processo de envelhecimento.

Poucos cuidados
A pele que é mal cuidada intencionalmente, envelhece mais rápido. Uma limpeza profunda, utilizando produtos adequados ao tipo de pele, em conjunto com a aplicação regular de produtos de cuidados para a pele, direcionados aos seus principais problemas, podem influenciar a pele de forma intensa. O uso de proteção solar eficaz, quando se está exposto à luz do sol, é uma parte fundamental da prevenção.

SOLUÇÕES

Minimizando os efeitos do envelhecimento

Compreender o processo de envelhecimento da pele ajuda a tomar decisões sobre como tratá-la. Os três principais sinais de envelhecimento: a perda de volume, perda de densidadeas rugas serão examinadas com maiores detalhes em artigos separados.  Se ainda não tem certeza sobre qual linha de tratamento adotar, o teste de pele pode ser uma ferramenta útil para o diagnóstico. Tanto minimizar os efeitos do envelhecimento, como preveni-los pode ser feito através de uma abordagem abrangente. Essa abordagem exige que hábitos de estilo de vida e cuidados sejam reavaliados e alterados conforme for necessário.

Estilo de vida
Como o estresse oxidativo é a principal causa do envelhecimento externo da pele, todas as mudanças de estilo de vida devem ser orientadas buscando minimizar os seus efeitos ao máximo.

Nutrição
Uma dieta saudável, rica em frutas e legumes, garantirá a ingestão de antioxidantes que ajudarão a limitar os efeitos nocivos dos radicais livres na pele.  Varie o máximo possível, mas alguns alimentos são conhecidos por serem mais ricos em antioxidantes e podem inclusive ter um efeito protetor sobre a pele:  cenouras, damascos e outras frutas e vegetais laranjas e amarelos, mirtilos, vegetais de folhas verdes, pimentões, tomates, feijões e outras leguminosas, peixes --especialmente o salmão -- e nozes.

Escolha também os alimentos corretos,  indícios indicam que alguns tipos devem ser evitados.  Descobriu-se que uma dieta muito rica em gordura e carboidratos estimula o envelhecimento.

Fumar
Fumar acelera o envelhecimento de forma considerável, reduzindo a elasticidade e deixando a pele opaca.  Parar de fumar ajudará a melhorar a aparência da pele, cortando os produtos químicos e a nicotina presentes no cigarro.

Mulher dormindo.
Dormir bastante pode ajudar fazendo parte de uma abordagem preventiva abrangente ao envelhecimento.
Mulher segurando um garfo com um pedaço de tomate
Comer mais do tipo certo de alimentos faz parte de uma abordagem abrangente para a prevenção.

Cuidados com a pele
A pele muda com cada fase da vida e a forma como ela é cuidada deveria refletir as necessidades dessas mudanças conforme o tempo passa.

"Uma boa rotina de cuidados com a pele é parte essencial de uma abordagem holística para tratar todos os sinais do envelhecimento: perda de volume, perda de densidade, rugas e condições relacionadas, como o ressecamento causado pelo envelhecimento, ou pele envelhecida sensível."

Se a sua pele é saudável, cuidar bem dela fará com que ela permaneça em bom estado.  Se não é, uma rotina consistente pode ajudar a melhorá-la. Uma rotina de cuidados com a pele deve ser composta por três etapas, limpeza, cuidados e proteção solar.

A limpeza removerá a maquiagem, sujeiras e produtos químicos da pele. Fazer isso é essencial, pois os produtos químicos na superfície da pele, vindos da poluição, podem desencadear o estresse oxidativo.

Os cuidados são a reconstituição e hidratação da pele utilizando produtos adequados para os sinais de envelhecimento, que é o principal problema. Ao abordar o problema com os produtos corretos e seus ativos, como o ácido hialurônicoglicosaponinas ou coenzima Q10, podem-se provocar melhorias na aparência da pele. Proteger a pele contra os raios UV é o passo mais importante da prevenção do envelhecimento futuro da pele.  O produto com FPS utilizado deve ser selecionado levando em consideração o tipo de pele e problema a ser tratado.

Leia mais sobre proteção solar facial

Mulher de meia idade com ambas as mãos no rosto.
Uma limpeza facial regular pode remover os produtos químicos que causam o estresse oxidativo.
Rosto de mulher com adesivos de cuidados com a pele por baixo dos olhos.
Adesivos hidratantes para os olhos e máscaras hidratantes podem melhorar a aparência da pele.