Imprimir
Mulher olhando o ombro.

    Alergias Solares – EPS e outras Reconhecendo os sintomas e entendendo as causas

    Aproximadamente um-quinto da população sofre com a alergia solar conhecida como erupção polimorfa solar (EPS). Seus sintomas são incômodos e perturbadores, pois tendem a aparecer em áreas altamente visíveis do corpo, inclusive nos braços e peito. Porém, já existe um maior conhecimento das causas, assim como maneiras mais eficazes para tratá-la.

    O QUE É A ERUPÇÃO POLIMORFA SOLAR (EPS)

    Close-up de EPS
    Os sintomas da EPS são recorrentes e aparecem um ou dois dias depois da exposição aos raios UV.
    Close-up de menina
    A EPS afeta principalmente mulheres jovens e pessoas com pele clara, e a maioria dos casos ocorre na primavera.

    EPS é a fotodermatose mais comum, um distúrbio da pele originado pela exposição à radiação UV. Caracteriza-se por sintomas recorrentes, de aparição retardada, que se observam um ou dois dias após a exposição solar e pode variar de uma erupção suave a uma série de pústulas. 


    Leia mais sobre o efeito do sol no corpo.

    É mais provável que afete mulheres jovens e pessoas com pele clara.

    Geralmente ocorre na primavera, quando a pele que ficou coberta durante o inverno é exposta a luz do sol. Pode ser desencadeado pelo sol mesmo através dos vidros. Se a exposição continua, os sintomas podem piorar, e as erupções podem se repetir-a cada ano. No entanto, EPS não é infecciosa, nem tem nenhuma conexão comprovada com câncer de pele.

    QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA EPS?

    Existem várias variantes morfológicos da EPS e os sintomas variam. Eles podem incluir uma erupção desigual, vermelhidão na pele, bolhas ou pústulas, e quase sempre são acompanhados de irritação intensa. Em casos mais graves, podem ocorrer, lesões hemorrágicas. Com frequencia, as áreas mais afetadas são o lado inferior dos braços, o peito e, mais raramente, o rosto.

    QUAIS SÃ OAS CAUSAS DE EPS?

    As causas de EPS não são completamente conhecidas. Porém, estudos recentes sugerem que processos funcionais são alterados na pele das pessoas com EPS.

    1. Raios UV – especialmente  os raios UVA com comprimento de onda larga (que desencadeiam a EPS em 80% dos casos), penetram profundamente na pele onde podem danificar células. 
    2. Os radicais livres induzidos pelos raios UV formam compostos químicos altamente reativos que causam estresse oxidativo, resultando em dano celular. 
    3. Estudos recentes indicam que as pessoas com EPS têm uma defesa celular comprometida, que torna sua pele incapaz de enfrentar estes radicais livres. 
    4. Na exposição ao sol a pele responde ativando de forma excessiva sua funçao imune, resultando numa pele vermelha e inflamada.

    Mulher com a mão na frente do rosto para se proteger do sol
    A radiação UV. penetra nas camadas cutâneas mais profundas e pode causar dano a longo prazo.

    COMO SE PREVINIR DA EPS?

    A aparição da EPS pode ser prevenida usando filtro solar (veja abaixo),  limitando a exposição ao sol, especialmente das onze às três da tarde, e usar roupas com foto-proteção.

    Em casos graves de EPS, pode ser útil um ciclo de fototerapia profilática (também conhecida com "photo hardening" ou dessensibilização).

    Neste caso a pele é gradualmente exposta aos raios UV para desenvolver tolerância à luz solar. Alguns pacientes com EPS verificaram que o problema melhora com o tempo, desaparecendo totalmente.

    COMO A EPS É TRATADA?

    As erupções da EPS podem coçar muito. Loções suavizantes podem reduzir a irritação, assim como a aplicação de cremes com esteróides.

    Filtros solares específicos são fundamentais tanto para aliviar os sintomas como para prevenir sua nova ocorrência.

    Diagrama da pele

    Eucerin desenvolveu um filtro solar que combina o poderoso antioxidante alfa-Glucosylrutin (AGR), com o também antioxidante e anti-inflamatório Licochalcona A. Os ingredientes naturais em Eucerin Allergy Protection Sun Creme-Gel SPF50 penetram na camada superior da epiderme para aumentar os sistemas protetores celulares e bloquear respostas inflamat´roias das células cutâneas. O resultado é a neutralização dos radicais livres e o fortalecimento da proteção celular própria da pele.

    OUTROS TIPOS DE ALERGIAS SOLARES

    Acne sazonal
    A acne de Maiorca é causada por uma combinação de exposição ao sol e certos cosméticos.
    Mulher tomando remédio
    Certos medicamentos também podem aumentar a sensibilidade aos raios do sol.

    Enquanto acredita-se que até 90% das pessoas são afetadas pelas alergias solares, existem outros processos que apresentam sintomas semelhantes.

    Acne sazonal (acne de Mallorca) não é só causada pela radiação UV, mas também aparece depois da interação com certos ingredientes encontrados em cosméticos ou filtros solares, tais como certos emulsionantes. Afeta principalmente mulheres de 25 a 40 anos de idade, muitas das quais com histórico de acne na puberdade. Os sintomas clínicos assemelham-se muito aos da EPS. 

    Fotorreações são reações inflamatórias retardadas induzidas pela  radiação UV depois da sensibilização com certas substâncias. Estas podem ser fototóxicas (aos ingredientes das plantas) ou fotoalérgicas (medicamentos, fragrâncias, corantes). Estas reações cutâneas se manifestam como nódulos que coçam nos lugares expostos à luz.
    Leia mais sobre os fatores que influem na pele.

    QUANDO PROCURAR CONSELHO PROFISSIONAL

    A EPS pode apresentar sintomas semelhantes a outras alergias e processos cutâneos, sendo recomendado o aconselhamento profissional. O Teste de pele pode ser uma ótima ferramenta para saber mais sobre os sinais, sintomas e tratamentos disponíveis.

    Converse com seu dermatologista ou farmacêutico se você está preocupado(a) com algum desses sintomas.